Posts

Dificilmente as pessoas pensam que o crescimento do faturamento pode virar um problema em uma empresa. Afinal, o crescimento no lucro é sempre visto como algo positivo e é natural que seja assim. No entanto, empresas passando por problemas administrativos em função de um crescimento acelerado é algo mais comum do que imaginamos.

Por isso, confira as principais situações em que o crescimento do faturamento pode se tornar um problema para a empresa.

Foco apenas no lucro

Muitas pequenas e médias empresas, ao terem sucesso nos seus negócios, cometem o erro de ter o foco apenas e exclusivamente no lucro gerado. O lucro em si não é o problema. O problema começa no momento em que a empresa não se prepara para a expansão dos negócios, não se preocupando com a logística que envolve a expansão e as novas demandas que consequentemente surgirão. Por isso, um bom planejamento deve sempre vir em primeiro lugar.

Além disso, a preocupação com o crescimento do negócio e o aumento do lucro baseada somente nas vendas limita as possibilidades de se aumentar o lucro de outras formas, por exemplo, reduzindo gastos internos, substituindo equipamentos obsoletos, investindo em inovação ou preparando melhor a equipe com treinamentos específicos.

Amadorismo na gestão

Um erro muito cometido por pequenas e médias empresas, principalmente as familiares, é misturar as finanças pessoais com as finanças da empresa, o que se torna ainda mais problemático em uma empresa em expansão.

Para manter a organização das finanças e para uma gestão contábil de excelência é fundamental que a gestão da empresa, mesmo quando se trata de um negócio familiar, seja estritamente profissional. Isso quer dizer separar as finanças e lucro da empresa das finanças pessoais, e definir valores justos de pró-labore para todos os sócios que também trabalham na empresa.

Isso, além de ajudar a organizar as finanças, também é muito importante para calcular de forma mais precisa os preços a serem cobrados sobre os produtos e serviços oferecidos pela empresa.

Regime tributário

A mudança do regime tributário no qual a empresa se encontra é o principal fator que faz com que empresas em crescimento passem por complicações na gestão. O que acontece é que o regime tributário no qual a empresa se enquadra e os impostos e tributos a serem pagos ao fisco são definidos segundo o faturamento da empresa. Muitas vezes as empresas em crescimento não tomam o cuidado de observar quando se deve mudar de um regime para outro, o que pode causar problemas com a Receita Federal.

Os tipos de regime que temos no Brasil são:

  • Simples Nacional. Válido para micro e pequenas empresas, o limite de faturamento para empresas sob esse regime é de R$ 4.800.000,00 ao ano;
  • Lucro Real. Obrigatório para alguns tipos de empresa que excedem o faturamento de R$ 4.800.000,00 e para empresas que atuam em áreas como bancos comerciais, sociedades de crédito, corretoras de Títulos e financiamentos.
  • Lucro Presumido. Indicado para empresas com faturamento anual que ultrapasse R$ 4.000.000,00, mas menor que R$ 78.000.000,00.

Gestão financeira

O problema mais comum com o qual empresas em crescimento se deparam se dá na parte de gestão financeira. Muitas vezes, por não contar com uma equipe de profissionais especializados, as empresas começam a ter dificuldades para organizar as finanças, manter o fluxo de caixa e cumprir com as suas obrigações tributárias e fiscais.

Uma vez que a empresa cresce e passa a operar com quantidades e valores maiores isso também se refletirá na gestão financeira, que vai passar a ter mais trabalho e responsabilidade sobre a saúde financeira da empresa.

Em tempo de crise manter um fluxo de caixa saudável é fundamental para garantir a estabilidade da empresa, porém, em um cenário de crescimento exponencial isso pode se tornar complicado.

Muitas empresas encontram na antecipação de recebíveis uma forma segura de manter o fluxo de caixa em momentos de grande crescimento. Assim, é possível antecipar valores que só seriam recebidos no futuro e garantir que o crescimento da empresa não será freado por uma carência na sua estrutura financeira.

A Fina Fácil é uma empresa Fintech que oferece esse tipo de solução para negócios que procuram formas de aliviar o fluxo de caixa. Oferecendo seus serviços totalmente via digital, contando com a Fina Fácil você pode ter o recurso antecipado na sua conta em até 24h.

Esperamos que o post tenha ajudado você a preparar sua empresa para crescer ainda mais. Aproveite para também ler nosso post sobre como aumentar seu faturamento e se preparar de forma adequada para isso!

Em tempos de crise, todos estão em busca de dicas sobre como vender mais. Afinal de contas, com a queda das receitas, é preciso agir rápido para reverter esse quadro de adversidade e reequilibrar as contas.

Acontece que muito do conteúdo encontrado sobre o tema traz sugestões que estão muito longe da realidade das pequenas e médias empresas, que contam com orçamento limitado e uma equipe enxuta. Isso acaba frustrando os empreendedores em busca de soluções que se adequem a sua realidade.

Pensando exatamente nessa situação, preparamos este artigo com dicas sobre como vender mais se valendo dos recursos que você tem em mãos. Isto é, vamos tratar de estratégias que não envolvem grandes investimentos e que são compatíveis com capacidade gerencial de pequenos e médios negócio. Não deixe de conferir!

Aposte em vendas para sua atual carteira de clientes

Um impulso quase automático de muitos gestores de departamentos comerciais quando traçam estratégias para vender mais é promover ações para captar novos clientes. Esse é um caminho válido, mas que deve ser antecedido da aposta na sua atual carteira de clientes.

Para isso, é interessante se fazer sempre lembrado a partir do envio de ofertas e promoções para os contatos mantidos em cadastro. Para os clientes mais estratégicos, com as quais se tem relação mais próxima, convém ligar diretamente e sondar se se a pessoa está precisando de algo.

Resgate pedidos de orçamento pendentes

Na mesma linha do que foi apresentado no tópico anterior, outra boa dica para aumentar as vendas é resgatar pedidos de orçamento pendentes. Não se esqueça que muitos potenciais clientes fazem levantamento com várias empresas e se sua equipe de vendas se mostrar proativa e retomar contato depois de algum tempo sem resposta, as chances de fechar negócio aumentam.

E ao reativar esse contato, é interessante verificar quais as expectativas do cliente em relação aos preços do produtos e serviços. Com esse tipo de informação é possível identificar se sua empresa pratica preços competitivos e está em condições de concorrer com outros negócios do mesmo segmento.

Aprenda a trabalhar com a sazonalidade do mercado

Tanto o setor de serviço quanto o de comércio tem o que podemos chamar de sazonalidade. Isso nada mais é que a oscilação entre períodos de mercado aquecido, em que há um elevado volume de vendas, e períodos de mercado desaquecido, com menor volume de vendas.

Para que seu negócio opere de forma segura durante todo o ano, é mais que necessário se planejar para esse tipo de oscilação. E em se tratando de vendas, especificamente, é preciso reunir esforços para que aqueles meses de maior demanda sejam os melhores possíveis nas vendas.

Para isso, não hesite em contratar funcionários temporários, em deixar as centrais de vendas ou lojas operando por mais horas e, principalmente, fazer uma boa gestão de estoque para que nunca faltem produtos para pronta entrega.

Conheça o histórico de compras de seus clientes

Acompanhar o histórico de compras de seus clientes é mais uma das dicas sobre como vender mais que geram resultados sem envolver nenhum impacto financeiro. Mas como isso funciona exatamente?

Tudo é muito simples, pois basta sua equipe gerenciar o histórico de compras dos clientes e verificar qual a periodicidade em que elas são feitas. No caso de vendas B2B (entre empresas), por exemplo, você pode verificar em quais épocas do mês ou do ano determinado parceiro recorre demanda determinado tipo de produto ou serviço.

Com isso, em data próxima a esse período sua equipe de vendas já pode estabelecer contato na tentativa de confirmar a venda e mostrar sempre disponível para o que for preciso e até mesmo sugerir outros produtos.

Com o post de hoje com dicas sobre como vender mais, esperamos ter apresentado estratégias que estejam contextualizadas à realidade das pequenas e médias empresas. Como você deve ter visto, é possível mudar o panorama do setor comercial de sua empresa a partir de medidas muito simples.

E para continuar a acompanhar mais conteúdo em nosso blog, sugerimos a leitura de mais este artigo sobre Inadimplência: como evitar e resolver.

 

Com aprofundamento da crise econômica que já se arrasta há anos no país, os níveis de inadimplência vêm crescendo de forma assustadora. Empresários de todos os setores têm do que reclamar.

Para ficarmos apenas com alguns números, ao final de 2018, segundo dados do SPC Brasil, 61,8 milhões de brasileiros estavam com o nome negativado junto aos órgãos de proteção de crédito. Nunca tivemos tantos devedores.

Nesse cenário, restam as empresas tentar reaver pelo menos parte desses recursos de alguma forma. E para isso, não se pode abrir mão de uma boa estratégia de recuperação de ativos e de outras saídas, como a antecipação de recebíveis.

No post de hoje, traremos tudo que você precisa saber para contornar os efeitos nefastos da inadimplência. Não deixe de conferir!

Faça uma boa gestão de seu cadastro de inadimplentes

O primeiro passo sempre é dimensionar o problema. Por isso, é muito importante que você organize o financeiro de sua empresa para acompanhar de perto todos os pagamentos pendentes e, assim, estruturar um cadastro de inadimplentes.

Esse cadastro deve ser segmentado a partir da propensão para a recuperação do devedor. Isto é, devemos ter grupos de devedores com níveis de criticidade. Sabe-se, por exemplo, que pendências em aberto por poucas semanas tem maiores chances de sem liquidadas.

Outros fatores também podem ser levados em consideração para se estabelecer esse tipo de classificação, como o histórico do cliente. Por vezes, um atraso pode ser uma situação completamente atípica para determinada empresa ou pessoa física e isso deve ser levado em consideração.

Estruture um setor de cobrança

Depois de produzir um cadastro de inadimplentes e segmenta-lo por níveis de criticidade, já podemos falar em estruturar um setor de cobrança. Muitas empresas desconsideram a importância disso, fazendo dessa atribuição algo secundário. Geralmente, um funcionário do financeiro com algum tempo livre fica encarregado de proceder com as cobranças, o que está longe de ser o ideal.

Nesse sentido, é preciso ter em vista a necessidade de se acompanhar de perto as tratativas com os devedores e estabelecer estratégias assertivas de cobrança. Não será uma ligação fria a cada 15 dias que fará com que você consiga reverter o quadro de inadimplência em sua empresa.

É preciso pensar em primeiro plano nas condições que podem ser oferecidas para cada grupo de devedor, sendo que eventuais facilidades oferecidas devem ser apresentadas em diferentes ocasiões. Por exemplo, se em um primeiro contato um prazo estendido não foi suficiente para se fechar um acordo, em um segundo contato pode-se oferecer um desconto sobre o valor total do débito e assim sucessivamente, até que se esgotem suas possibilidades de concessões.

Aposte na terceirização

Como você pode visualizar nos tópicos anteriores, todo o trabalho de recuperação de devedores demanda grande organização e uma equipe bem treinada para proceder com as cobranças e acompanha-las.

Para micro e pequenas empresas, que mantém um quadro de pessoal reduzido e baixa capacidade gerencial para capacitar seus colaboradores, manter um setor apenas para a cobrança pode ser inviável. Isso faz com que a terceirização da atividade de recuperação de devedores seja a melhor opção para organizações desse porte.

Com equipe especializada em negociações, uma empresa de recuperação de ativos tem muitas contribuições a dar para quem vem sofrendo com elevados índices de inadimplência. Além das cobranças convencionais, há a possibilidade de se proceder com cobranças extrajudiciais, o que aumenta consideravelmente as chances de se reaver o valor das dívidas em aberto.

E o melhor: muitas dessas empresas cobram apenas um percentual sobre os ativos recuperados, sem exigir nenhum investimento inicial para começar os trabalhos, o que tona essa solução acessível a todos.

Antecipação de recebíveis como solução

Para a realidade de micro e pequenas empresas a inadimplência pode ser ainda mais danosa em relação a organizações de maior porte. Afinal de contas, qualquer proporção de receitas faz falta no caixa de quem já sobrevive com pouco.

E até que o problema da inadimplência seja resolvido, você precisa levantar fundos para reorganizas as finanças em sua empresa. Uma solução, neste caso, seria contratar crédito. No entanto, com restrições cada vez mais pesadas impostas por bancos e demais instituições financeiras, fica difícil ter um perfil bom o bastante para acessar qualquer linha de financiamento.

Nesse cenário, a antecipação de recebíveis passa a ser a solução mais viável para empresas que precisam de um alívio em seu fluxo de caixa. Para quem não sabe ou não conhece, a antecipação consiste na entrega de suas notas ficais com vencimento futuro a uma empresa desse segmento, que pagará por elas a vista, mediante um desconto no valor total.

Com um cadastro extremamente simplificado, o perfil de sua empresa é aprovado em poucos dias, sendo que a compensação da antecipação acontece em até 24h. Tudo muito simples, não é mesmo?

Para saber mais sobre a antecipação de recebíveis, aqui te explicamos como funciona. Contando com os nossos serviços, fica muito simples antecipar e acessar os recursos que você tanto precisa! Leia mais